INFERNO (CÍRCULO VII / CÍRCULO VIII / CÍRCULO IX)

O Inferno do nosso Descontentamento

E, de súbito, a pandemia. Um Hades em modalidade vírica que nos levou um Shakespeare e nos trouxe um Alighieri. Ao corcunda Ricardo, o terceiro desse nome, que se queixava do Inverno de paz que se abatia sobre a sua Inglaterra, vimos agora contrapor um Dante, autor e personagem confundidos num mesmo corpo literário que, ainda que do Inferno não se queixe propriamente, não obstante o vê abatido sobre o mundo todo. Um pouco como nós com estas nossas máscaras. As literais e as figuradas.
Como aceitar a mão de Dante para que nos leve a passear? Talvez como ele a concedeu a Virgílio para que lhe fossem dados a conhecer os abismos infernais: com honestidade e humildade. O distanciamento social, que nos trocou as voltas e tanta coisa nos furtou, não nos rouba a aproximação espiritual, condição primeira da viagem a que se propôs Dante e a que nos propomos nós. Torturas à parte, o que sobra do Inferno? E o que significa atravessá-lo? E quem são estes que aqui vemos a pôr pés ao caminho? Finalistas, sim. Mas de quê? Que viagem acaba? E que viagem começa? Que paisagem nova é esta que se lançam a desbravar?
Três é o número perfeito. Seja: uma trilogia. Três partes, que vezes três dá nove, os círculos do Inferno, que mais um, o número celeste, dá dez, símbolo pitagórico do Universo, que em dobro dá vinte, o número de alunos que ali vemos, no palco, nesse segundo universo a desmascarar o primeiro. Trinta e quatro cantos, singularidade infernal, já que ao Purgatório e ao Paraíso Dante só dedicou trinta e três. Um a mais. Nesse caso, uma imperfeição, talvez, uma pequena brecha na couraça divina desta comédia. Uma porta por onde entrar e sair, esperamos. Pois acaba assim esse canto que está a mais, num verso que a nenhum terço pertence:
"E saímos voltando a ver as estrelas."
 
Ficha Técnica e Artística
Texto / A partir da Divina Comédia de Dante Alighieri
Cabelos / José Resende
Direcção de Produção / Glória Cheio
Tradução / Vasco Graça Moura
Encenação, Dramaturgia, Co-Desenho de Luz / Pedro Galiza
Ass. de Encenação e Ap. Dramaturgia / Inês Simões Pereira
Desenho de Cenografia, Co-Desenho de Luz / Pedro Morim
Desenho de Som / Sofia Fernandes

Produção / Pedro Barbosa
Alunos do 3º Ano da ACE Famalicão - Interpretação 1º Grupo - Círculo VII: Alberto Batista, Alexandra Guimarães, Catarina Matos, Diogo Sousa, João Lin, Patrícia Silva, Tiago da Costa e Vitória Ferreira; 2º Grupo - Círculo VIII: Ana Guimarães, Ana Marques, Bruna Fernandes, Diogo Ribeiro, Filipe Barbosa e Francisco Madureira; 3º Grupo - Círculo IX: Andreia Coelho, Íris Mendes, Patrícia Nogueira, Pedro Alves, Pedro Lemos e Tiago Pereira
Desenho de Figurinos / Paula Cabral
Preparação Vocal e Elocução / Emília Silvestre
Registo de Vídeo / Rui Bezerra

Fotografia de Cena / Nelson D'Aires 

Inês Simões Pereira
actriz · encenadora · formadora · produtora
iinespereira@gmail.com

2020 © Todos os direitos reservados.