Um grito depois do silêncio

Sim, a minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.
Clarice Lispector

Do lugar de uma mulher, sempre do lugar de uma mulher – a mulher invisível, a mulher cansada, a mulher silenciada. Do lugar de uma mulher que segura as palavras dentro da boca, mas na sua cabeça gritam as palavras que não grita na boca. Do lugar de uma mulher que se vê ao espelho, censura e rejeita a sua imagem no espelho, do lugar de uma mulher sozinha, esquecida, abandonada. A esta mulher, numa noite onde tudo pode acontecer, numa noite eterna e escura, onde tudo lhe falta, até o sono, só lhe resta a sobrevivência permanente consigo mesma. No sofrimento está a mudança, pergunta. E será que está? O que resta se já não existir esperança? Não acordar e não dormir: o fim fatídico de uma mulher que procura um grito depois do silêncio.

Ficha Técnica e Artística
Criação: Diana Barnabé e Inês Simões Pereira
Texto: Inês Simões Pereira
Interpretação: Diana Barnabé
Composição Coreográfica: Daniela Cruz
Desenho de Luz: Pedro Abreu
Composição Sonora e Musical: Diogo Figueiredo e Leonardo Rocha
Assistência Técnica: João Octávio Pereira
Desenho e Construção de Cenografia: Pedro Morim
Desenho e Confecção de Figurinos: The M Pire
Comunicação e Design: André Santos
Assistência à Comunicação: Mafalda Leal Moura
Vídeo Promocional: Nuno Leites
Fotografia Documental: Tiago Lessa
Fotografia de Cena: Teresa Santos
Produção Executiva: Mafalda Leal Moura
Co-produção: Carruagem e Grua Crua
Apoio: Grupo Dramático e Recreativo da Retorta
Parceiro Institucional: República Portuguesa / Ministério da Cultura


Inês Simões Pereira
artista

Instagram · Facebook · Twitter · Linkedin · Email
·
2022 © Todos os direitos reservados.